terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Amar é pra valer...


(...) resta saber o que quer dizer,
essa multidão que
adentra nos ouvidos e
ferve a imaginação;
povoa territórios na
beleza das cachoeiras
guerreiras, brilhantes,
falantes no silêncio barulhento,
cancioneiro de inspiração;
nas calendas do coração
surtem diuturnamente uma
emoção sonora que chora
ao som de uma canção;
proporciona uma doce
felicidade que invade o
interior de cada um,
esperando que o brilho
faça trilho no coração e
arabescos n'alma;
vale saber que amar
é pra valer e rever os
conceitos num acerto genial;
e, a canção de ninar que
agora embala é como a
energia do mar, nas águas de
amar que não param, jamais.


Marisa de Medeiros

TENHO DESEJO...


Tenho o desejo de experimentar a liberdade
Expressa na plenitude do pensamento livre
E sentir que o amor é a origem da felicidade
O belo sorriso de criança, não quem o prive

Na imaginação idealizo o maior dos sentimentos
Que transforma o sorriso na mais perfeita alegria
De quem ama a vida e controla os pensamentos
Para que a felicidade nasça e cresça na agonia

E nesse desejo imenso de viver toda liberdade
Sei que o amor é capaz de libertar a felicidade
Que existe na imaginação do poeta apaixonado

Ele escreve seus belos poemas de amor inusitado
Pois sua razão duvida desse sentimento especial
Porque entende que se entregar ao amor, faz mal


Silvanio Alves

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

NA LEVESA DO TEU OLHAR


Feito plumas,
Em leveza soltas no ar
Iguais ao teu olhar.
Embora tomado pelas sombras
Transcende o brilho das
Pupilas em cor de mel.
As cortinas velhas da janela
Em moldurando os
Restos dos vidros que em
Transparência se reflete.
O palor da morte se desvalendo
Da fronte desmaiada.
Que por ti chora em prantos
Quanta dor.
Em sonho te tive
Em momentos surreais
Em abalar tremendo
Corpos exautos.
Quantas venturas por piedade.
No ambalde macio
Da leveza do teu olhar a
Enfeitiçar-me a alma.


Márcio Novais

Quero Ser O Teu Eterno Amor!


Quero falar-te agora mesmo
Cheio de toda a minha clareza.
Pois sabes que Tu és importante para mim
Porque vou te amar cheio de certeza.

Desde que eu te conheci
Deus sabe que eu te escolhi.
Aquela que nunca esqueci
Mas no meu coração estará comigo aqui.

Transmitirei a Ti o que se chama
Aquilo que se chama de Afeto real.
Prometo-te que demonstrarei-te nesta hora
Neste dia que para nós que é especial.

Meu coração está apaixonado
Quando está te observando.
A sua rara Beleza Feminina
Mas entenderá com carinho e está te amando.

Lembre-se de minhas palavras
Que eu te amarei com fervor.
Somente demonstrará sua ternura
O que também quero provar-te o meu valor.

Agora que eu declarei estes versos
Mas declamei eles com muito louvor.
Com os meus versos mais lindos, dizendo:
"Minha Amada, Quero Ser O Teu Eterno Amor!"


Roberto Leal

domingo, 29 de janeiro de 2012

Soneto de um amor


Quando abri a janela, no escurecer do dia
Vi que no céu havia uma estrela reluzente
Mas era um brilho que me encantou
E neste encanto lembrei-me de você.

E então lembrei as noites em claro,
Pensando em nós dois.
Lembrei dos dias que liguei só para ouvir sua voz,
Das vezes que me dizia que seria eterno.

Há dias em que me pergunto se vai voltar,
Há dias acho que esta estrela não vai mais brilhar.
Há dias em que me pergunto por que tudo foi em vão.

Assim me pergunto por que nos iludimos tão facilmente,
Ás vezes queria que você fosse aquela estrela
Para poder ficar te olhando toda à noite.


L S Gonçalves

NOS TEUS OLHARES O MEU DESEJO!!!


Pálido céu azul anil, nos olhos teus
os meus desejos, os teus prazeres
arrebatam de vez os meus pudores
e entre os teus sabores
na minha boca um beijo seu
no teu abraço apertado me encontro isolado
destemido aos teus amores
e me encontro procurando frases
pra definir essa sensação
pra te mostrar ao rolar dos dados
que realmente entrei no jogo
e mesmo sendo um tolo
não hesitarei um só momento
Nessa tua boca rosada
deslisarei os meus lábios
e arriscarei outra rodada
dizendo ainda mais que te desejo...


RAYMUNDO SARAIVA

sábado, 28 de janeiro de 2012

O Teu Olhar nos Meus Olhos


Sempre onde tu estás
Naquilo que faço
Viras-te agarras os braços

Toco-te onde te viras
O teu olhar nos meus olhos

Viro-me para tocar nos teus braços
Agarras o meu tocar em ti

Toco-te para te ter de ti
A única forma do teu olhar
Viro o teu rosto para mim

Sempre onde tu estás
Toco-te para te amar olho para os teus olhos.


Harold Pinter, in "Várias Vozes"

Amo-te Muito, Meu Amor, e Tanto


Amo-te muito, meu amor, e tanto
que, ao ter-te, amo-te mais, e mais ainda
depois de ter-te, meu amor. Não finda
com o próprio amor o amor do teu encanto.

Que encanto é o teu? Se continua enquanto
sofro a traição dos que, viscosos, prendem,
por uma paz da guerra a que se vendem,
a pura liberdade do meu canto,

um cântico da terra e do seu povo,
nesta invenção da humanidade inteira
que a cada instante há que inventar de novo,

tão quase é coisa ou sucessão que passa...
Que encanto é o teu? Deitado à tua beira,
sei que se rasga, eterno, o véu da Graça.


Jorge de Sena, in “Poesia, Vol. I”

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Retrato Ardente


Entre os teus lábios
é que a loucura acode
desce à garganta,
invade a água.

No teu peito
é que o pólen do fogo
se junta à nascente,
alastra na sombra.

Nos teus flancos
é que a fonte começa
a ser rio de abelhas,
rumor de tigre.

Da cintura aos joelhos
é que a areia queima,
o sol é secreto,
cego o silêncio.

Deita-te comigo.
Ilumina meus vidros.
Entre lábios e lábios
toda a música é minha.


Eugénio de Andrade, in "Obscuro Domínio"

Soneto de amor


Não me peças palavras, nem baladas,
Nem expressões, nem alma... Abre-me o seio,
Deixa cair as pálpebras pesadas,
E entre os seios me apertes sem receio.

Na tua boca sob a minha, ao meio,
Nossas línguas se busquem, desvairadas...
E que os meus flancos nus vibrem no enleio
Das tuas pernas ágeis e delgadas.

E em duas bocas uma língua..., — unidos,
Nós trocaremos beijos e gemidos,
Sentindo o nosso sangue misturar-se.

Depois... — abre os teus olhos, minha amada!
Enterra-os bem nos meus; não digas nada...
Deixa a Vida exprimir-se sem disfarce!


José Régio, in “Antologia Pessoal da Poesia Portuguesa, Eugénio de Andrade”

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Nascemos para Amar


Nascemos para amar; a Humanidade
Vai, tarde ou cedo, aos laços da ternura.
Tu és doce atractivo, ó Formosura,
Que encanta, que seduz, que persuade.

Enleia-se por gosto a liberdade;
E depois que a paixão na alma se apura,
Alguns então lhe chamam desventura,
Chamam-lhe alguns então felicidade.

Qual se abisma nas lôbregas tristezas,
Qual em suaves júbilos discorre,
Com esperanças mil na ideia acesas.

Amor ou desfalece, ou pára, ou corre:
E, segundo as diversas naturezas,
Um porfia, este esquece, aquele morre.


Bocage, in 'Sonetos'

A Tua Boca


A tua boca. A tua boca.
Oh, também a tua boca.
Um túnel para a minha noite.
Um poço para a minha sede.

Os fios dormentes de água
que a tua língua solta num grito cor-de-rosa
e a minha língua sorve e canta
e os meus dentes mordem derramando a seiva
da tua primavera sem palavras
o poema inquieto e livre que a tua boca oferece
à minha boca.

As loucas bebedeiras de ternura
por essa viagem até ao sangue.
Os beijos como fogueiras.
As línguas como rosas.

Oh, a tua boca para a minha boca.


Joaquim Pessoa, in 'Os Olhos de Isa'

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Um desejo de amor eterno


Desejo-lhe, em poesia, ser teu...
E tu, em versos, ser minha.
E assim como num cantar de uma sereia,
Explodir meu peito, que ora, se incendeia,
Por esse amor que me consome e me desatina.

Desejo, pois, o nosso amor eterno...
Que não se importa com o tempo,
Que atraca no porto dos seus mistérios,
Mesmo ante a força feroz dos grandes ventos.

...E quando esse dia chegar,
quero ser somente seu...

Assim como a água é do mar...
Como a água é dos véus das cachoeiras.
Assim como a lua é do luar
E tal qual a uva é da videira.
Pois o amor que me arrebata,
É aquele amor de vida inteira.


Nelson Rodrigues de Barros

A arte da SEDUÇÃO


Sem receios,
leva café na cama,
diz que ama,
desalinha o meu dia,
faz uma poesia,
coração em arritmia,
me presenteia com a lua,
diz que sou só tua,
traz uma rosa,
cantarola uma canção,
beija meus pés,
me faz sorrir,
sou tua taça,
beba desse vinho,
embriagados de amor,
rolamos em lençóis...
lá fora o dia começa,
você não abre a porta,
viver o amor é o que importa!


Clarice Pantaneira

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Morrer de Amor é Assim


Quem morre de tempo certo
ao cabo de um certo tempo
é a rosa do deserto
que tem raízes no vento.

Qual a medida de um verso
que fale do meu amor?
Não me chega o universo
porque o meu verso é maior.

Morrer de amor é assim
como uma causa perdida.
Eu sei, e falo por mim,
vou morrer cheio de vida.

Digo-te adeus, vou-me embora,
que os versos que eu te escrever
nunca os lerás, sei agora
que nunca aprendeste a ler.

Neste dia que se enquadra
no tempo que vai passar,
termino mais esta quadra
feita ao gosto popular.


Joaquim Pessoa, in 'Ano Comum'

A Mulher que Passa


Meu Deus, eu quero a mulher que passa.
Seu dorso frio é um campo de lírios
Tem sete cores nos seus cabelos
Sete esperanças na boca fresca!

Oh! Como és linda, mulher que passas
que me sacias e suplicias
Dentro das noites, dentro dos dias!

Teus sentimentos são poesia
Teus sofrimentos, melancolia.
Teus pêlos leves são relva boa
Fresca e macia.
Teus belos braços são cisnes mansos
Longe das vozes da ventania.

Meu Deus, eu quero a mulher que passa!

Como te adoro, mulher que passas
Que vens e passas, que me sacias
Dentro das noites, dentro dos dias!

Porque me faltas, se te procuro?
Por que me odeias quando te juro
Que te perdia se me encontravas
E me encontrava se te perdias?

Por que não voltas, mulher que passa?
Por que não enches a minha vida?
Por que não voltas, mulher querida
Sempre perdida, nunca encontrada?
Por que não voltas à minha vida
Para o que sofro não ser desgraça?

Meu Deus, eu quero a mulher que passa!
Eu quero-a agora, sem mais demora
A minha amada mulher que passa!

No santo nome do teu martírio
Do teu martírio que nunca cessa
Meu Deus, eu quero, quero depressa
A minha amada mulher que passa!

Que fica e passa, que pacifica
Que é tanto pura como devassa
Que bóia leve como a cortiça
E tem raízes como a fumaça.


Vinicius de Moraes, in 'Antologia Poética'

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

DEIXA...


Deixa eu entrar na tua vida
Abrir a porta da tua fantasia
E nesta amizade colorida
Deixa eu me sentir querida

Deixa eu tirar a tua roupa
Nesta minha ânsia louca
Beijar o teu umbigo e ir subindo
Até chegar na tua boca

Deixa eu colher rosas mimosas
Para enfeitar o teu caminho
Mas não as deixe murcharem
Para não pisares nos espinhos

Deixa eu continuar este sonho lindo
E fazer tudo o que eu quiser
Com todos os meus direitos e defeitos
Porque sou simplesmente uma mulher

Deixa eu me unir a tua existência
Eu quero que você se sinta amado
Deus sabe que a nossa união é perfeita
E que você, é o meu doce pecado

Deixa eu ir além dos teus sonhos
Me pegue do jeito que você deseja
Me ame sem culpas e sem queixas
E... deixa eu te amar, deixa...


Sônia Lopes

Sussurrando...


domingo, 22 de janeiro de 2012

Amor Natural


A tormenta acaba,
Sem partes apenas acaba de um choque;
O sol brilha e cada monstruosidade
que se fazia nas sombras,
na verdadeé beleza sem igual,
maravilhando a quem admira,
deixando os olhos se encherem de água.
Pela natureza encontro a descrição do nosso amor:
Sonhos e desejos,
perfeição imperfeita,
tormanta passageira e
começo eterno...
Tudo vale quando se é água
esperando para evaporar e
cair novamente em seus braços.


Renata Angel

Noturno do Amor


Vou saindo devagar, sem fazer barulho,
para não despertar, o seu coração.
Vou levando apenas as lembranças,
deixando consigo, todas as saudades.
Guarde-as, elas lhe farão bem.
Pensei até em me despedir,
mas palavras, são apenas palavras,
e não há mais nada para falar.
De adeus , deixo o meu sorriso.
Quem sabe, ele lhe ensine ser feliz...
Vou saindo devagar, não da para notar.
Que o pequeno espaço, que sempre ocupei,
nesta sua grande e vibrante vida,
sirva para sua liberdade, ampliar.
Ou, você faça dele, delicado lugar,
onde possa seus sonhos, guardar.
Por não estar mais tão apaixonada,
não sinto raiva , amor, não sinto mais nada.
Vou indo embora.....vou indo.....fui.......


April

sábado, 21 de janeiro de 2012

Amar-te pela vida afora...


o sol estridente,
as vezes, tão carente de
um amor e um olhar;
enxergar com o coração
como eu a te amar;
nos doces momentos ou
na vida atroz,
no ágil pensamento,
na vontade veloz ,
velocidade do instante
hábil e apaixonante,
inesquecível no tempo,
perfeito na memória,
todos os tempos do tempo,
emoção revolucionária;
lembranças tantas,
vivendo dia e noite,
antes, depois e agora;
malabarismo do amor,
amar-te pela vida afora;
e, o sol fragilizado é amar
sem ser amado, eis a questão;
também me aquece calado,
igualmente apaixonado.


Marisa de Medeiros

Quando penso em ti


Quando penso em ti
Vejo-me despida
Sentindo o calor do teu corpo
De encontro no meu

Quando penso em ti
Escuto uma musica romântica
Tocada bem longe
Enquanto nos amamos

Tudo fica perfeito
Quando penso em nós
Nós nos amando como loucos
Ou como loucos entregues no prazer

Quando penso em ti
Sei que tudo é presente
Pois não pode ficar no passado
Um amor que é tão ardente

Quando penso em ti
Sei que mesmo sem querer
Estas pensando em mim


Marcia Meis

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

AO TEU SILÊNCIO...


ESTÁS PRESA NO MEU PEITO,
COM A CORRENTE DA PAIXÃO!
FUGIR NÃO TEM MAIS JEITO...
MAS DEIXO A CHAVE EM TUA MÃO!

NA VERDADE SOU EU O PRISIONEIRO,
FUI VENCIDO PELO TEU ENCANTO...
ME RENDO INDOMÁVEL GUERREIRO...
PELO TEU MAVIOSO CANTO.

SEREIA DA PERDIÇÃO!
SUTILMENTE ME SEDUZIU...
É TEU MEU CORAÇÃO...
QUE AO MEIO SE PARTIU.

A TEUS PÉS DE JOELHOS...
ONDE JAZ O MEU CAMINHO...
VÊ MEUS OLHOS VERMELHOS?
É DE CHORAR POR TEUS CARINHOS.

ÉS MEU SONHO MAIS LOUCO!
ÉS MEU LOUCO PRAZER!
E TE PEÇO MUITO POUCO...
ME DEIXE AMAR VOCÊ!!!


amorMAJ

REFLEXO DO MEU AMOR


É assim que chegas dentro do meu peito...
Invadindo sem pedir...
Beijando sem beijar...
Não tenho forças para lutar...
E nem quero..
Sou da paz...
Mas quero a força do teu amor...
E a leveza do teu tocar...
Quero todos os sonhos em teus braços...
E todas as nossas realidades em nossos amassos...
Chega logo...
A porta está aberta só pra você entrar...
Na minha vida ...
No meu ninho...
No meu coração...
No meu destino...
Que se fez só pra te receber...
É no meu coração cigano...
Que sinto teu sentir...
Vem dançar pra mim...
Vem dançar em mim...
Vou te seduzir...
E quando te tocar...
Não será preciso palavras ..
Pra se entregar...
Meu olhar no teu olhar ...
E basta....


MARTA BITTENCOURT

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Teu Gosto Sabor


O brilho do seu olhar
Brilhou em meu olhar
Com uma delicada leveza
Leve no vento o luar.

Vem, comigo
Nesta madrugada
Quero te querer
Sem querer, por te querer.

E sem maiores saudades
O vento soprou
Batendo em mim
Teu gosto sabor.

E assim não só
No mesmo papel
Quero ter você
No escuro do céu.


Renata Jolene

No silêncio da noite


É no silêncio da noite
Que encontramos a poesia
Nos corpos nus no banho
Na água caindo suavemente sobre a pele...

É no silêncio da noite
Que desejamos a presença do amor
Que distante se encontra
Numa ausência apenas física.

E nesse silêncio as pessoas se encontram
Riem se afagam, se encontram nos sonhos
Se aquecem e se amam
No silêncio da noite!


Eliane Auer (Moça Bonita)

Apelo


quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Amor tresloucado...


enquanto outro dia não chega,
um mundo de sonhos
encanta a noite e madrugada;
no auge do amor vem a emoção;
enlouquecer na cama,
amar no chão, quebrar a rotina
num amor tresloucado, nos
fetiches sonhados, vivendo
um amor formulado e
reformulado...
timoneiro das carícias e
delícias, andarilho que
me atiça sem parar;
é fato nas vias de fato o
amor exato na inexata perfeição;
o sono já chega, juntinhos em
conchinhas, embalamos o
amor na luz do sol que vai nascer.


Marisa de Medeiros

Tonteiras da paixão


Sou um tonto a tontear,
Em tonteiras por teu amor
E de tonto que ainda sou vivo a vagar
Buscando em cada canto conquistar o teu amor.

Sou o conexo em desconexão
Tentando não te perder de vista
De tanto que ardo em paixão
Tua presença inexistente persuade-me em conquista.

Sou um forte de tão fraco sou,
De tanto que já te quis.
Já não consigo fingir o quanto te amo,
Por tudo que te fiz.


Edilson Rodrigues

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Amar de Novo


Ah, esta chuva lá fora que cai
bate forte nas vidraças
refletindo em mim saudades
o tédio, a solidão, me envolvem
Ah, estas lembranças que voltam
o ar impregnado de desejos
pegajoso, envolvente
me levam a você
Ah, esta tristeza sem fim
de ter você
os pingos de chuva
para matar a minha sede
ah, esta vontade
de te amar de novo...


Helena Correia

A Chuva Do Amor


Foi Deus que fez esta Maravilha
Que é muito bom para molhar.
O Coração Apaixonado e Humilde
Mas que também é muito bom desfrutar.

Desde que eu conheci você
Sabes que neste dia que te amei.
Pois te observei na hora exata
Mais que tudo isto que declamei.

Quando eu estou aqui sozinho
Penso em Ti a cada momento.
No meu coração estará sempre
E que hoje ficará no meu pensamento.

Demonstrarei a Ti o que é
O que se chama de Amor Sublime.
Jamais se esqueça de uma coisa simples
Para que juntos ficaremos muito firmes.

Lembre-se de minhas palavras
Deste que te fala com Fervor.
Nesta Chuva que nos purifica de Carinho
Mas Te molharei de Beijos de Vigor.

Por isso, quero que me entenda uma coisa
Que eu falarei com todo o meu Temor.
Porque desfrutaremos neste dia Lindo
Aquela que se chama de A Chuva Do Amor.


Roberto Leal

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

O último beijo de adeus


Infinito momento que tendo passado
Ainda estando
Passando, tocando
Tornando presente
Presente ficando
Marcando, ferindo
Estendendo seus passos
Me dando a certeza de ter sempre estado
Num canto escondido
Contido, feito grito abafado
E livre, tão livre
Tão leve, tão solto no espaço
Que o faço, refaço
E o sinto bonito
Afoito, aflito
Fadado somente
A permanecer infinito
Um rito, um mito
Indefinidamente.


Miss Jade

**-** CAMINHO EVANESCENTE **-**


Abram-se os caminhos perdidos...
evanecentes caminhos idílicos...

Viajo às pirâmides do egito...
em caravana de camelos...

Perco-me nas brumas do tempo...
Sonho acordado minhas fantasias

Odaliscas vem para mim dançar...

A preferida do sultão olha distante...
perdida em pensamentos
Quem saberá seus tormentos??

O mar vermelho da paixão,
parece abrir-se:
dentro dos olhos seus...
Paredes de lágrimas se formam
paralelas , lado a lado..

A estrada que se abre no mar..
Quem me dera ser Moisés
para essas águas atravessar..

Chegar à terra prometida
de seus lábios
onde mana o leite e o mel...

Mas o caminho é evanescente,
dilui-se a miragem do caminho,
e da rosa vermelha do Cairo
restaram-me apenas espinhos.


Jorge Linhaça

domingo, 15 de janeiro de 2012

Beijos Vadios


Quero tremer a minha boca
Na humidade dos teus pêlos
Mergulhar em salgados mistérios
Navegar nos teus hemisférios
Quero assimilar teu gosto de mar
E me afogar em corais de prazer
Beber tuas loucas profundezas
Arrecifes de raras belezas
Quero trançar as nossas línguas
E ouriçar tua estrela-do-mar
Te prender nos meus tentáculos
Me molhar em teus obstáculos
Quero fazer do teu corpo
Um Havaí de perigosas ondas
E se a bandeira estiver escarlate
Deixa que eu morra...não me resgates!


Helena Correia

Seu jeito me faz...


Quando a saudade aperta lembro do teu sorriso
Dos nossos momentos e da paixão
Das nossas conversas e carinhos
Do tempo que perdemos...

Do seu jeito carinhoso de ser
Da maneira como pensa
Das suas palavras oportunas
Me salvando da solidão

Em nosso reencontro sem pudor
Infinito o desejo de ter um ao outro
Entre encontros e desencontros
Só queria ter você pra mim

Da maneira como faz...
Em um olhar único, desvendando seus segredos
Num suspiro, o resumo do prazer
Que há tempos não sentia

Na poesia o nosso momento
Em que tudo resume nossos desejos
Na parte mais intima do ser
O desejo de que isso nunca vai acabar


Edson Fernandes