domingo, 30 de junho de 2013

Amando, certo ou errado...



(...) amanheceu,
nem chuva
nem sol;
só a solidão de
me sentir tão só;
o dia ainda
não terminou,
tão desesperada
loucura de amor;
uma dor tão grande
sem saber chorar,
as lágrimas secaram
no mar de amar;
e, o que sempre fiz,
brincar de ser feliz;
eu não sou forte
nem fraca demais;
o coração me diz
desde que eu nasci
nunca me refiz;
só sei que amo mais,
talvez, erradamente;
minh'alma chora
serenamente;
a cara da dor
na verdade do amor.


Marisa de Medeiros

O som do amor



E ela o abraçou com ternura e paixão.
Tinha o corpo quente de desejo.
Deixou que seus sentidos a guiassem.
Afagou a pele amada quase com devoção,
e mapeou os caminhos do prazer.
As carícias trocadas,
provocavam gemidos.
E os arrepios a estremeciam.
Sentia-se quase em transe.
E o amor se fez, numa explosão de sensações
e delicias.
Ficaram abraçados,
E o bater descompassado do coração,
era o único som que se ouvia.
O som do amor saciado.


Maria Bonfá


sábado, 29 de junho de 2013

UN AMOR LLENO DE TERNURA



Un amor puede ser vivido con ternura,
aunque los amantes estean alejados...
El cuerpo pide muchos besos,
el alma pide totales cariños,
pero los amantes vivan separados,
y el amor pide la presencia...
Será eso el amor?
Un amor vivido en la distancia,
puede ser amor lleno de ternura,
hecho con mucha dulzura...
Podrá asi ser un amor de verdad,
y podrá traernos traer la felicidad?
Los sentimientos vienen del corazón,
trayendo asi toda la emoción
de un verdadero amor
que quiere ser vivido en plenitud...
Asi están los enamorados,
aúnque distantes, pero enamorados...
Y si quieren besarse, pueden hacerlo
aúnque en pensamiento...




Marcial Salaverry


 

E SONHO-TE QUANDO ANSIAVA SER UM SONHO TEU.



O Amor, Meu Amor 

Nosso amor é impuro 
como impura é a luz e a água 
e tudo quanto nasce 
e vive além do tempo. 

Minhas pernas são água, 
as tuas são luz 
e dão a volta ao universo 
quando se enlaçam 
até se tornarem deserto e escuro. 
E eu sofro de te abraçar 
depois de te abraçar para não sofrer. 

E toco-te 
para deixares de ter corpo 
e o meu corpo nasce 
quando se extingue no teu. 

E respiro em ti 
para me sufocar 
e espreito em tua claridade 
para me cegar, 
meu Sol vertido em Lua, 
minha noite alvorecida. 

Tu me bebes 
e eu me converto na tua sede. 
Meus lábios mordem, 
meus dentes beijam, 
minha pele te veste 
e ficas ainda mais despida. 

Pudesse eu ser tu 
E em tua saudade ser a minha própria espera. 

Mas eu deito-me em teu leito 
Quando apenas queria dormir em ti. 

E sonho-te 
Quando ansiava ser um sonho teu. 

E levito, voo de semente, 
para em mim mesmo te plantar 
menos que flor: simples perfume, 
lembrança de pétala sem chão onde tombar. 

Teus olhos inundando os meus 
e a minha vida, já sem leito, 
vai galgando margens 
até tudo ser mar. 
Esse mar que só há depois do mar. 


Mia Couto, in "idades cidades divindades"

sexta-feira, 28 de junho de 2013

SEMPRE COM PAZ E AMOR



Vamos viver com amor,
com amor no coração,
coração sempre cheio de paz,
paz que nos vem da alma,
alma que se acalma com amor,
com amor no coração...
De coração, faça amor,
faça amor, faça humor,
faça humor, mas não faça a guerra,
guerra que amargura a alma,
alma que apenas quer amor e paz...



Marcial Salaverry


Quisera, meu amor...



quisera, meu amor quisera,
entender angústias que
no meu coração ajusta,
desajusta, nem sei, se
justa ou injusta;
sei que perturba,
faz desmoronar
causa insônia e dor.

quisera, meu amor, quisera,
compreender certas esperas
que desesperam, agitam e
gritam dentro de mim;
disfarçar nem sei,
as vezes, calar e engolir
é menos sofrer que se
possa dizer ou sentir.

quisera, meu amor, quisera,
não ter que se repetir,
só não posso tirar de mim;
sorrindo ou chorando
tempo comemorando
amor e dor sem fim
enquanto eu existir.


Marisa de Medeiros


quinta-feira, 27 de junho de 2013

Amor que arrebata



Será que é errado sonharmos com o amor,
o amor arrebatador que nos tira da realidade,
aquele amor que só vemos nos filmes,
será que é sonhar demais, além da realidade,
será que seremos loucos ao desejar tamanho amor,
mas qual o limite quando não mandamos em nós,
qual o verdadeiro limite para nosso coração,
onde ouvimos o som das batidas em nosso peito,
onde enxergamos além do espelho da alma,
onde uma simples música é nossa inspiração,
quando enxergamos a natureza como nossa musa,
quando vemos a perfeição em quem amamos.


Alexandre Brussolo


Retalhos de amor...



(...) tristeza, as vezes,
vem pulando cambalhota,
quase derruba, derrota,
esgota a sensibilidade que
arrasa, estraga e fragiliza o ser;
bate forte e, é difícil deter;
inquietude, insegurança
trançando a ansiedade,
desnorteando a vontade,
calando o grito, agitando
o íntimo, sentindo a alegria
desaparecer, fazendo
doer a esperança que
bravamente vai equilibrando
os pontos do trampolim de
encontros e desencontros;
cabe um conto emocional de
um amor encantado, escrito
em mim e reescrito por ti,
logo ali, depois do sem fim
onde o coração é capaz de
juntar retalhos de amor,
pontilhados de dor com
bolinhas douradas e a
tristeza faz sorrir com
peripécias mágicas de um
amor infinitamente maior.


Marisa de Medeiros

quarta-feira, 26 de junho de 2013

UM POESIA MUSICADA



Soam ao longe
os acordes de uma doce música,
inspirando uma poesia de amor...
Uma poesia musicada,
com uma valsa tocando o coração,
e despertando a inspiração...
Música e poesia são aliadas,
transmitindo esta doce emoção...
Em devaneios, a música domina
pensamento, corpo e a alma...
Assim,  nosso desejo jamais termina,
sempre nos excita, e depois se acalma...
Música que invade nossa mente
com seu ritmo, gostosamente ouvido,
e que dançamos romanticamente,
sendo algo que jamais cai no olvido,
e assim, nos entregamo apaixonadamente,
a um amor que jamais será esquecido...



Marcial Salaverry


Amor perdido


Como perambulo eu vivo
Alheio à minha vida real,
Fugindo até da sombra
E do meu próprio ideal.

Percorro caminhos sem rumo
No tédio da madrugada,
Só a ilusão me acompanha
Rumo destino ao nada.

Revoltado contra o destino
Choro as magoas do passado,
Vivendo as tristes lembranças
De um amor vil malfadado

Sem saber como ou por quê
Ou por alguma coisa atraído,
Ando sem saber por onde
Em busca de um amor perdido.


José Coelho


terça-feira, 25 de junho de 2013

POEMA DE AMOR


Amor... Sentimento... Uma força...
Que une... E separa...
Que gela... E abrasa...
Dá vida... E mata...
Que canta... E se cala...
Rosa que despetala
Espalhando perfumes...
Por onde passa... O vento...
Venta com força...
Levando pétalas no tempo
Por planícies e cumes...
Pousando ao relento...
Esperando outro momento
Que possam voar... Ao vento...
Novamente seguir pelo ar...
Sem parar, sem cessar
De levar o perfume...
De encher de amor...
Corações em queixumes...
Que deixam os lamentos...
Enchem de lágrimas o vento...
Que levam em forma de chuva...
Regando sem amargura...
Um sentimento em botão... De amor...


André Luiz Pinheiro

Amor, mais uma vez...



(...) chove e faz frio;
mansamente a
imaginação aquecendo
e acolhendo a gente;
madrugada e o
relógio pacientemente
acordando, despertando
no silêncio barulhento;
e o tempo não para,
a hora não demora;
lá fora, poluição sonora;
a vontade amando,
o abraço esquentando,
em teus braços sonhando;
essa manhã pedindo pra
ficar e amar mais uma vez;
e a chuva, faz dormir o sol,
meu amor, só para amarmos
outra vez, mais uma vez;
chove chuva e amor também.


Marisa de Medeiros

segunda-feira, 24 de junho de 2013

QUE É O TEMPO?



Não se contam as horas
quando estamos vivendo um amor...
Horas apenas marcam o tempo...
E o tempo pouco importa,
quando estamos amando...
Esqueçamos o relógio,
e prossigamos nos beijando...
Façamos de cada minuto,
horas de prazer,
vivendo sem angústia
estes momentos de amor...
Sintamos apenas o calor
de nossos corpos abraçados,
trocando carinhos apaixonados...
Deixemos o tempo correr,
para viver pelo nosso prazer...
 


Marcial Salaverry


Voz do amor...



(...) tantas vezes,
na madrugada
a solidão faz companhia
ditando acertos,
revendo erros, refletindo;
é fundamental ouvir
a voz do coração;
no momento em questão;
entender o amor e o
valor que nele contém;
amor não casa com prisão;
forte personalidade,
corre solto na liberdade
de ser como é, com
vontade própria,
e exclusividade nas
suas peculiaridades;
instantes inatingíveis
tornam-se plausíveis
quando quer porque ama
sem condição e, sem
regras para delimitar;
já que o infinito é o limite.


Marisa de Medeiros

domingo, 23 de junho de 2013

Nosso amor infindo


Sempre pensando em você.
Você razão do meu viver,
Da minha felicidade;
O meu sonho resplandecer.

Sem você não ser ninguém,
O meu andar sem sentido.
O seu amor me faz alguém
Com um futuro lindo.

Com você belos momentos
Numa estrada colorida.
O nosso amor infindo
Onde a natureza linda.


Alonso Rodrigues Pimentel


DESEJO ARDENTE



Olhar de menino
Olhos esverdeados
Tuas mãos delicadas
Percorrem meu corpo
Com caricias dadas
Os teus beijos sôfregos
Tocam os meus lábios
Como se fossem mel
Com um desejo ardente
Toco a tua pele
Que está tão quente
Quero naquele momento
Ser tua concubina
Com este sentimento
Que nunca esteve ausente
Meu amor é puro
Por nós dois partilhado
No coração está seguro
Para ser desvendado


Anabela Fernandes

sábado, 22 de junho de 2013

Coisas do Coração



Sem procurar eu te encontrei,
Sem planejar eu te amei
E sem querer tive que te esquecer
Sei que nada é para sempre,
Que até mesmo o amor se dissipa.
Mas agora o que eu faço
Sem o teu olhar procurando o meu olhar?
Sem o teu sorriso suscitando
Um sorriso em mim?
O que eu faço sem a tua presença?
Acabou acabado,
Ou seremos amigos para sempre?
Daqueles amigos que
Um socorre o outro em qualquer circunstância!
Quando precisar daquele abraço,
Posso ir ao teu encontro?
Porque se for ao contrário
Eu estarei pronta para te acolher.
Te amo!


Zezé Freitas


MUITO MAIS QUE PALAVRAS



Desejos ardentemente desejados,
que apenas serão aplacados
com beijos e carinhos demorados...
O que buscas na madrugada,
tão ardentemente enamorada,
é necessidade de amor premente...
Sentes o ardor da paixão
queimando o coração,
revivendo a quente emoção
vivida em doces momentos de amor,
sempre cheios de vibrante ardor,
e os quer reviver, seja como for...



Marcial Salaverry